Sentido Eterno de Memórias

Não tenho memórias,
porque nunca as vivi.
Nunca houve aquela criança em mim,
não era eu,
nunca fui eu,
a criança que viveu aqueles dias
era vazia de pensamentos mortais,
era vazia de acontecimentos,
vazia de sentimentos e vontades,
aquela criança cheia de ambições não possuía realidade,
aquela criança nunca amou,
aquela criança nunca procurou amar.

Aquela criança nunca fui eu,
e aquela criança morreu.

Qual o sentido de uma existência mortal?
Qual o sentido destas palavras se hoje forem esquecidas
e nunca mais forem recordadas?
A tua vida mortal é sem sentido se não procurares
a eternidade neste abismo para o esquecimento que é a vida,
terá tudo sido em vão?
terás sentido tudo em vão?
se a única coisa que deixas é o vazio da tua presença.

Vivemos para abraçar a mortal eternidade de preenchermos
memórias e momentos.
Se não o fizer, nunca existi.

( Flávio Pinheiro )

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: