Today…

photo20080805105911
Hoje é um dia diferente, na verdade eu mesma não posso explicar o porque, mas é…
Não que tenha me ocorrido nada demais, nem mesmo em pensamentos…
O fim do ano se aproxima, e como é de costume, começam a vir a tona todas aquelas reflexões sobre o que se passou.
Mas eu que já passo o ano todo a pensar, a questionar-me, cobrar-me de porquês, não somente a mim, mas todos os quais se envolvem na minha vida de alguma forma.
Penso tanto, que sempre chego a mesma conclusão, não há porquês, não há verdades, não certezas, não existem respostas para as minhas perguntas, não há nada que saciei minha ânsia de tentar entender o que não há de ser compreendido.

Hoje estou diferente, calma, serena e sem pensamento flutuantes.
Estou estranha, mas essas estranhesa me faz bem! Faz-me sentir algo que a tempos não sentia.
É algo raro, mas que tenho a leve sensação que pode se tornar permanente.
Sabe, sinto-me leve, tranquila, longe daquele desespero habitual.
Confesso que no inicio da manhã tive uma certa ansiedade, que solucionei com um telefonema, não deveria mas o fiz!
O fiz sem culpa, e sem esperar por nada, apenas o fiz, e gostei, confesso que gostei!

As minhas lágrimas não partiram…
A tristeza momentânea também não!
Mas aprendi a lidar com os diversas situações, que já se tornaram rotineiras.
A sentir, sem dor.
A chorar, por desabafo, para sentir um alivio, aquele que sempre vem após a crise.

Comecei a observar ao meu redor, observar a ti.
A notar pequenos gestos…
A reparar no teu olhar, que antes por mim passava desapercebido, pois estava sempre de cabeça baixa, fugindo de ti, por algum motivo que não sei explicar, talvez não olhaste em teus olhos, por medo, medo de entregar-me definitivamente, num simples olhar!
Acabei por não ver o teu.

Cada toque, carinho, cada palavra, passeia sentir-te de forma completa, e entregar-me cada vez mais, acho que estavas passando pelo menos que eu… Confiei!
Fechei os olhos e lhe dei tudo de mim, minha verdade, meus sentimentos, minha vida.
Acho que estamos no caminho certo!

Estava a pensa, amadurecemos, eu também, isso é bom!
É conjunto, fizemos planos!
Pequenos planos, simples… mas é assim que eis de começar.
Planos se sermos felizes? Sobre o futuro? Sobre a eternidade?
Planos sobre tentarmos!

Fiz juras de amor à ti…
Nem sempre fui correspondida, em palavras ou atitudes;
Mas além do erro, existe o recomeço, o repensar, o mudar.
Eu aceitei…
A ti e tua forma de amar, o teu aprendizado, a tua evolução.

Preciso ser menos compulsiva, por ti, pelos meus sentimentos…
Não posso mais ter ter medo, de enfrentar a mim mesma, e minha solidão…
Essa insegurança, que me faz ser sempre impulsiva…
Obsessão em sentir o que não devo sentir…
Respirar, apenas isso, olhar para o horizonte e não pensar em nada…
E para que pensar no amanhã, se o hoje ainda não terminou…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: